Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 14 de agosto de 2010

Uma semana daquelas

Nem sei se vou ser capaz de me expressar em palavras todos os acontecimentos que me ocorreram nessa semana.
Antes de tudo, não sei se meu computador vai me deixar fazer tal relato. Não é de hoje que ele cisma de ficar apertando a tecla “a” sozinho. Aaaaaaaaaaaaaaaaa
Puta que pariu!
Mas eu tenho meu jeito nada ortodoxo de consertá-lo. É cada tapa no teclado que dá até dó.
Bem... Mas vamos aos fatos: no domingo passado, ainda em Muriaé fiquei por conta de arrumar minhas malas. Afinal,minhas aulas começariam no dia 9.
Na madrugada, conversei com um amiga do Ceará. Ela me disse que havia nascidoum porco com feições humanas em sua cidade. Fiquei procurando a foto dele no Google, mas não consegui achar.
Ela ficou de me enviar quando achasse, mas ainda não vi (aos curiosos, a cidade dela é São Benedito-CE, procurem a foto ai depois).
Falando nela, ri bastante com sua ajuda num depoimento em inglês que fiz a um outro amigo. Segundo ela, “better” seria manteiga e não melhor.
=)
Na segunda-feira acordei cedo e peguei um ônibus para o Rio. Vim dormindo até chegar na rodoviaaária do Nova Rio. Ali começou minha via sacra.
Atravessei a passarela carregando minhas malas pesando, sem brincadeira nenhuma, mais ou menos 12 quilos. Fiquei no ponto a espera do meu outro ônibus com destino a minha terrinha: Nova Iguaçu!
Pra quem não conhece, o Novo Rio fica na área portuária da cidade do Rio de Janeiro, e possui muitos mendigos e os chamados trombadinhas.
Vieram me pedir 2 real mano. Mineiro, arisco que sou, neguei e sai de perto. Ficaram me enchendo o saco. Eu fingi que não era comigo. Sou esquentado e tinha certeza que não iriam roubar meus 12 quilos de bagagem. Preferi ficar na minha. No primeiro ônibus que passou escrito Nova Iguaçu eu embarquei.
Cheguei tarde em casa. Desfiz as malas e tomei meu remédio para dormir.
Ah! Troquei o Rivotril por Frontal. Tem feito diferença. Tá me derrubando mais rápido.
Minhas aulas começaram mesmo essa semana. Ocorreram muitas mudanças na minha faculdade.
Nova reitoria, nova coordenação no meu curso. Agora há um entusiasmo no ar. Os professores estão empenhados a melhorar a imagem que ficou do período passado ( pra quem não sabe, até por uma greve nós passamos. Normal, se não fosse o fato de ser uma entidade particular).
Já marcaram até prova pra semana que vem. Vamo que vamo!
Deu pra matar as saudades de muitos amigos. Outros ainda não chegaram. Não confiaram que a faculdade ia dar essa dentro.
Já comecei a pagar o pato em Patologia ( desculpem o trocadilho). Bacana demais a disciplina.
O meu curso começou a tomar forma de medicina e isso tem me deixado extremamente contente. Sinto que estou mais auto-confiante. Que estou no caminho certo, apesar de nunca ter tido dúvidas que estaria no caminho errado.
[Fiuk cantando Help no Criança Esperança merece essa pausa no post- Uheuhuehuehueheuheue]
Voltemos.
Minha casa está em reforma. Pintores e pedreiros me incomodando o dia inteiro. E mesmo assim estou feliz.
O cheiro de tinta e a poeira me fizeram espirrar muito. Agora já acostumei.
O carinha que ficou de instalar a internet aqui em casa infelizmente morreu. Logo, não tô tendo como postar nada. Desculpem ai.
Na quinta-feira aprendi algo que 98% da população não faz idéia de como se faz e nem querem saber. Tive uma aula sobre exame de fezes. Merda pura!
Não é que nem exame de sangue ou raio-x. O exame de fezes tem muitas particularidade. Não é só cagar num peniquinho e depois colocar o produto num vidrinho parecido com aqueles que colocávamos os filmes fotográficos antigamente. É uma arte! Tô falando sério! Só vendo mesmo pra entender.
Hoje tem show do Luan Santana num parque de eventos aqui na baixada e eu não vou. Não animei.
Faltou um estímulo sabe?
Parece que enquanto eu não for pra Via Show num baile da Furacão 2000-Armagedom eu não sossego. Preciso gastar minhas energias com meus Mcs prediletos.
Tenho ouvido o tal do Edson Gomes que eu fiz a análise da letra de sua música.
Amigo meu da Bahia que mora aqui em casa disse que eu gostei mesmo do cara.
Falando nisso, pai dele tá aqui. Estou tendo várias reflexões filosóficas com ele.
Hoje mesmo discutimos a origem do meu nome ( desde o jogador de Botafogo- Heleno de Freitas até a Grécia antiga. Expliquei que heleno é grego em grego, tipo, português em português, english em inglês...)
Queria muito postar tudo o que tenho escrito aqui, mas tá complicado.
Prometo fazer um esforço pra não sumir totalmente.
Minha semana foi atribulada e essa agora será ainda mais.
Chopada!!!!
Quero muito beber uma Brahma gelada com meus amigos.
Tenho teste de patologia e fisiologia II. Terei que estudar. Aliás já estou!
Mas também estou muito inspirado. Tenho escrito sobre várias coisas. Quando puder, eu coloco aqui.
Um grande abraço a todos.
Faz o Urro?

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Analisando Letras : ÁRVORE ( EDSON GOMES)

Sim, essa música existe! Foi uma sugestão, e eu baixei ela pra ouvir inclusive.
Só sentindo a VIBE pra entender...




Vem me regar mãe
[Se fosse vem me limpar mãe, eu até entenderia]
Vem me regar, oh, oh, oh
[Esse oh,oh,oh dá muito a impressão que o cara tá no banheiro]
Vem me regar mãe
[Ele quer mesmo ser regado mãe!]
Yeah! Vem me regar
[Esse Yeah dá a conotação que a mãe atendeu o seu pedido]

Todo santo dia, pois todo dia é santo
[Isso é verdade! Os feiras dos nomes dos dias da semana vem de feriado, ou seja, dia santo]
E eu, sou uma árvore bonita
[Hummm...Frutinha!]
Que precisa ter os seus cuidados
[Vem me regar mãe]

Me regar mãe
[Cara gosta mesmo desse trem de regar]
Vem me regar oh, oh, oh
[E se regar fosse fumar? Começa a fazer sentido]
Vem me regar mãe
[Fuma Fuma fuma folha de bananeira! Bananeira é árvore né?]
Yeah! Vem me regar
[É um trocadilho com a palavra reggae! Saquei]

E ando sobre a terra
[Árvore andar é demais você não acha não? Tinha um pokémon que era uma árvore? Será ele um pokémon? Pokémon que fuma?? Puta merda!]
E vivo sob o sol
[Ufa! Ele mora no mesmo lugar que eu! Não é de outro planeta pelo menos]
E as, e as minhas raízes
[Gaguejou pra falar das suas raízes]
Eu balanço, eu balanço, eu balanço
[Ele balança as raízes? Caraca, já vi balançar a bunda, mas as raízes nunca. A não ser que seja uma metáfora para... Você sabe bem o que os homens balançam no banheiro].


Yeah! Vem me regar!










" ... Uma banda de maçã, outra banda de reggae..."

domingo, 8 de agosto de 2010

A mão que compra o berço

Tinha 16 anos quando minha namorada engravidou. Na época nem passou pela nossa cabeça fazer um aborto. Muito menos nos casar.

A mãe dela era mãe solteira então nem teve complicação lá na família dela.
Meus pais, muito religiosos que são, ficaram me enchendo o saco, mas no fim acabaram aceitando.
O meninão nasceu dia 23/01/2005.





Não! Eu não sou pai! Mas sim, essa história já foi contada como real.
Quando eu cursava Física na UFV eu respondia aos que me perguntavam quem era o garotinho nas fotos do meu celular essa pequena mentira.
Inclusive muitos ainda acham que o meu primo realmente é sangue do meu sangue.
Mas também não é pra menos. Pedro é meu xodó.
Me acorda sempre que estou em casa pulando em cima de mim. Fica cantando Mamonas Assassinas enquanto estou vendo televisão,e fala muita, mas muita coisa mesmo sem nexo.
Tenho um vídeo em que ele me conta seu maior desejo: Virar sapo! (resumindo, estávamos numa festa de casamento e ele queria entrar dentro da piscina. Eu briguei com ele e falei que como ele não sabia nadar ele morreria afogado se entrasse. Ai ele soltou a pérola, pois sabia que os sapos nadam bem [ só não me perguntem porque ele não falou que queria virar peixe]).

Um dia aqui em casa, enquanto tomávamos café, ele me pediu uma banana pra comer. Eu fui lá e dei. Minha irmã comia alguma coisa com maionese. Ele olhou e me perguntou o que era aquilo que ela passava na coisa ( não me lembro mesmo o que era). Quando respondi do que se tratava ele falou que ia comer com banana. - Pedro, é ruim! Você não vai gostar de comer banana com maionese não. Deve fazer mal pra sua barriga até!- falei calmamente com ele.
Ele me olhou com desdém. E repetiu: -Quero banana com maionese!
Eu tenho um técnica muito boa com criança: Deixar ela quebrar a cara pra aprender.
Peguei a banana e passei maionese e dei na mão dele, com a certeza absoluta que ele ia jogar fora.
O moleque comeu, e vendo que eu esperava a reação dele pra implicar, me solta a seguinte frase, com a maior cara lavada:- Hummmm! Que delícia! De hoje em diante só como banana com maionese!
E olhem que nessa época ele tinha apenas 2 anos.
É meu cabeção predileto!





Ah! Lembrei de uma coisa!
Esse post é uma homenagem ao Dia dos Pais!
Valeu Papai! Valeu Cabeção!
Faz o urro?

sábado, 7 de agosto de 2010

Um Olhar Positivo

O modo como encaramos a vida varia de pessoa para pessoa. Isso é fato!
Percebam essas duas histórias: um homem tinha tudo para ser infeliz, seu pai se suicidara quando era criança, e depois seu melhor amigo foi pelo mesmo caminho. Cresceu, se casou e descobriu que seu filho não era seu. Sua mulher o havia traído. Mas ele deu a volta por cima, casou-se de novo e considera-se realizado. Uma mulher tinha tudo que poderia querer. Estava prestes a se formar em medicina, tinha um namorado digamos perfeito, com quem ela planejava formar uma família. Possuía vários amigos e uma família que lhe dava apoio incondicional. Mesmo assim, sofre de falta de auto-confiança, é oprimida pelas escolhas que fez na vida e sente-se extremamente infeliz e só sabe tomar decisões na presença de seu namorado.
Conclusão: apesar de soar como babaquice, nossa felicidade vem da maneira como encaramos a vida. Cientistas garantam isso. E eu também!
Vejam esse outro caso: eram dois irmãos: um extremamente otimista e outro pessimista. Era natal e o pessimista ganhou uma bicicleta de presente. Não satisfeito saiu gritando aos quatro cantos que seus pais queriam que ele morresse. Que o agrado o faria cair, se machucar, quebrar uma perna, esfolar a cara.
O outro irmão, ganhou de natal um saco cheio de estrume. Correr rua fora gritando:-Cadê meu cavalinho? Cadê meu cavalinho?
O primeiro passo para ser mais feliz começa por ai; mudar a maneira como encaramos nossas adversidades:uma fracasso é uma tragédia ou oportunidade de aprender?
Certa vez li que Nelson Mandela era um cara otimista. E não é para menos. Numa entrevista ele declarou:-'' No meu país nós vamos para a primeiro e depois nos tornamos presidentes'', demonstrando além de um bom-humor aparente, uma atitude positiva depois dos quase 20 anos em que ficou preso.
Quer saber? Ser feliz não é tão fácil. Engloba vários pormenores que devemos prestar atenção.
Mas ser otimista é a chave para tal.
O bem-estar não é caracterizado pela felicidade constante, e sim por uma atitude positiva permanente.
Devemos ser gratos. Mas isso não significa dizer apenas obrigado por um presente ou favor.
Dar valor as coisas simples também é bacana. Aprendendo a apreciar coisas do nosso dia-a-dia, como um sorriso ou um lanche no Mc Donalds, seremos sim mais alegres e confiantes.( Que isso Heleno? Um lanche no Mc Donalds pode nos deixar mais confiante?- SIM..Você já comeu um Mc Flury de Mini-Bis com seus amigos apenas pra ganhar um copo de vidro da Coca-Cola?).
Mas vale a pena ressaltar: ser otimista não significa forçar a barra para estar alegre o tempo todo. Afinal, a tristeza tem seu papel fundamental em nossa vida.
Devemos aceitar as emoções como medo, melancolia e ansiedade são naturais. Só dessa forma conseguiremos superá-las de forma fácil.
Na ânsia de ser feliz, muitos recorrem a medicamentos, sobretudo os antidepressivos. Posso ser bem sincero? Nunca fui triste, e tomo esse tipo de remédio.. Será que essa é a utilidade deles?
Só pra constar, essas drogas possuem eficácia quando se trata de distúrbios;pois age sobre o afeto negativo patológico não afetivo.
Ignorar as melancolias é deixar de aceitar parte de nossa própria personalidade.
Não se obrigue a ser feliz!
Vou virar escritor de auto-ajuda. Zuera!
Be Happy!


( Escrevi esse post meio correndo, então deve tá cheio de erros de concordância! Mals aê!)

FAZ O URRO?

Valeu Papai!



P.S Desculpa, mas é que tô rindo até agora de Shrek Forever After!

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Analisando Letras : JACKIE TEQUILA ( SAMUEL ROSA/ CHICO AMARAL)

Funk lá no morro da mangueira
[Dizem que o baile funk lá ficou bom mesmo, mas a feijoada na quadra da escola de samba é melhor]
Essa menina tá dizendo sim, eu sei
[E como alguém diria sim sem a outra saber?]
Noite bamba tudo a beça
[Tudo a beça? No morro da mangueira? Sei não..Drugs?]
Baião na rampa do Cruzeiro
[Mudou de funk pra baião? Mas baião num é tipo Xote?]


Essa menina tá dizendo don't worry
[Quando a gente bebe começa a falar em inglês né? Não se preocupe diz ela]
Cause everything is gonna be alright
[Porque tudo vai ficar bem! All Right!]
Everything, every tune will be played by night
[Tudo, todas as músicas serão tocadas durante a noite – Tá loucona essa mina!]


Seu nome é Jackie, Jackie Tequila
[Nasceu no México provavelmente]
Jacqueline Misty Tequila
[Nome completo.. Acho que foi pra combinar na hora que canta]

Reggae lá na radio do Café
[Lembra que tinha coisas a beça? Agora com reggae? Sei não! Marijuana!]
Rapaziada que estiver afim, vai lá
[Chamando os maconheiros]
Eu vou ficar com Jackie
[Jackie é uma prostituta?]
Se é que Jackie vai pra lá
[Sim... e bate ponto em vários lugares- Mangueira,Rádio do Café, rampa do Cruzeiro]


E se não for já foi
[Putz! Sério?]
O bonde do desejo segue rumo
[Precisa de encontra Jackie pra relaxar, se é que me entendem]
Caixa, bumbo e sexo
[Dinheiro, barulho e trabalho, respectivamente]
Saudade na rampa do mundo
[Porra! A Jackie é famosa no mundo todo já? Atriz pornô?]

Seu nome é Jackie, Jackie Tequila
Seu nome é Jacqueline Misty Tequila
[Hora que todo mundo canta na música com entusiasmo!]


Jackie foi nascer numa cabana em Noa Noa
[Ainda acho que ela é Mexicana]
Sol do Taiti na pele na boa
[Pele bronzeada! Da cor do pecado! Hummmmmmmm!]
Seu pai cruzou o mar duas filhas na canoa
[Por que numa canoa meu Deus? Acho mesmo que isso é uma viagem]
Côco pra beber e leite de leoa
[Coco não tem mais acento... Mas até dá pra entender a água de coco. Mas leite de leoa? Perai! De onde apareceu esse bicho? E pior dentro duma canoa cruzando os mares do Taiti? Viagem!]
Jackie uma menina tão bonita que enjoa
[Deve ser bonita mesmo. Num é atoa que é tão cara]
Enjôo de vertigem. viagem de avião
[Tá Grávida]
Hálito de virgem, dois olhos de amêndoa
[Só o hálito né? Muito periguete! Aposto que a foto na exibição no Orkut é de espelho]
Vaca cadela macaca e gazela
[Apelidos carinhosos na hora que está trabalhando. Tenho uma teoria pro Gazela! Será????]
Linda toda. Toda linda ela
[Já sei que ela é linda]
Toda beleza se reconhece nela
[Deve ser prima da Afrodite]
Jackie Tequila coca-cola e água
[Misturar tequila com coca-cola e água só Jackie mesmo]
Égua língua mingua minha mágoa
[Ooooooooooooooooooooooooooooooo]

Essa foi uma sugestão de um amigo. Quem tiver de alguma outra música ai, é só falar!

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ando meio Desligado


A cada dia que vivemos temos contato com mais e mais vantagens da vida moderna: apareceu o carro total flex ( quem no início da década passada poderia imaginar que misturaríamos álcool e gasolina no mesmo tanque?) e mais recentemente o carro elétrico. Veio o IPod ,Iphone,IPad e outros I...Surgiu a televisão a cabo, os videogames de última geração ( com gráficos tão perfeitos quanto filmes), o celular e a capacidade de falar com os amigos a todo momento, em qualquer lugar do mundo.
Junto dessa modernidade toda, também vieram tensão, pressão no trabalho, trânsito, insônia, depressão e a viciante possibilidade de nunca se desligar.
Estive conversando com um amigo, e ele me disse que sua vida é ligada em alta voltagem. Só sabe trabalhar sob pressão. Contou-me que trabalha com dezenas de de revistas e livros abertos. Seu celular não para de tocar. Quando liga o computador, costuma abrir uma infinidade de janelas enquanto navega pela internet. Não consegue fazer uma coisa de cada vez. Os dedos gostam de clicar freneticamente o mouse para descobrir se recebeu um novo e-mail, um novo scrap no orkut ou uma mensagem no MSN.
Tecnicamente ele é portador do que os estudiosos chamam de “ desordem de ansiedade da internet”.
Veja bem! Eu tenho transtorno de déficit de atenção por hiperatividade. Mas são coisas diferentes. Eu não tenho escolha. Sou hiperativo e ponto. Meu amigo teve escolha, por assim dizer; e é resultado direto de um mundo veloz e conectado.
Quem nunca teve a sensação de que estava perdendo o que estava acontecendo no mundo ao ficar um dia sem entrar na internet? Aquela ansiedade pra saber se alguém havia escrito algo em uma de suas páginas?
Aprendi com a vida que a irritabilidade e o desejo de acompanhar o que está acontecendo em todo canto estão entre os maiores males que uma rotina plugada pode trazer à saúde.
Percebam uma fatalidade: infelizmente temos que enfrentar o trânsito ( pra quem mora em grandes cidades principalmente- quem conhece a Via Light na hora do almoço me entende), a competitividade do mercado de trabalho ( que eu ainda não fui apresentado), a violência urbana, o temor de que o mundo está prestes a entrar em colapso ( 2012 tá logo ali)...
Temos coisas demais na cabeça; e acredito que ela acabe filtrando todos esses problemas assim como nosso corpo.
Pra se ter uma idéia, a venda de medicamentos que aliviam as angústias mentais só cresce. No Brasil, o segundo remédio mais adquirido nas farmácias é justamente um que combate a ansiedade e melhora os problemas do sono: o meu amigo clonazepan ( Rivotril).
Moral da história: é hora de colocar o pé no freio e desacelerar, porque senão só um anti-vírus pra dar conta de tantos dados e processos de informações que nos cercam.


P.S Chupaaaaaaaa Bambis!!!!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Um Pouco Flicts


“ Era uma vez uma cor muito rara e muito triste que se chamava Flicts.”
Eu tenho uma forte ligação com Flicts desde que eu era criança. Sempre fui fã de Ziraldo e seus livros, tinha todos eles, acompanhei sua carreira de perto,pesquisava sobre ele;inclusive cheguei a dar palestras ( a nível de curiosidade- Ziraldo é uma mistura do nome de seus pais: Zizinha e Geraldo).
Mas hoje eu estava atoa depois do almoço assistindo televisão e vi um especial no canal Cultura justamente sobre o livro que narra a história da cor solitária que não encontra seu lugar no mundo. Me emocionou, não vou negar.
Sempre tive um Flicts em mim. Quando pequeno procurava nos mais diversos lugares algo que fosse Flicts, e que de alguma forma me completasse sei lá.
Imaginava algo tão triste e sozinho e me reconhecia ali.
Tive uma infância meio maluca. Sempre tive muitos amigos,mas tinha época que eu cismava de me isolar, de conversar com pombos, de ver Ets, de me fazer de doido, doente.
Percebi em Flicts um estado de espírito e não somente uma cor.
Os anos se passaram e guardei ele como uma boa recordação.
Passemos para o clichê: o livro mostra que nos diferenciamos dos outros por causa d cor, credo,situação financeira e blablabla.
Ziraldo de uma forma fantástica mostra que até mesmo o mais isolado e desolado de nós pode ser excepcional e fazer algo de forma grandiosa.
Certa vez li que a igualdade não era branca nem preta, era cinza. Eu não concordo, a igualdade é Flicts!
“ Mas ninguém sabe a verdade, ( a não ser os astronautas) que de perto, bem de pertinho A Lua é Flicts!”

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Analisando Letras: Codinome Beija-Flor (Cazuza)

Pra que mentir / Fingir que perdoou / Tentar ficar amigos sem rancor
[Começa bem coerente. O eu-lírico quer sinceridade no relacionamento]
A emoção acabou
[Ah vá!]
Que coincidência é o amor
[Decida, é a emoção ou o amor que acabou? Ou seriam as duas a mesma coisa?]
A nossa música nunca mais tocou
[Isso é bem mais comum que se imagina! Geralmente a “nossa música” é uma canção de sucesso da época do início do namoro e depois de algum tempo para de tocar mesmo. Bem normal!]

Pra que usar de tanta educação / Pra destilar terceiras intenções
[ Não tenha medo de mandar ninguém tomar no c* mesmo! Vai se fud@#$ porr%$!]
Desperdiçando o meu mel
[ Aquele que a mamãe te passou? Ou você virou abelha agora? Começou a complicar...]
Devagarinho, flor em flor
[Hummmmmmmmmmmmmmmmmmmmm.....]
Entre os meus inimigos, beija-flor
[Coitado do bichinho! Como um simples beija-flor pode vir a fazer mal a alguém?]


Eu protegi teu nome por amor / Em um codinome, Beija-flor [Foi numa sala de bate papo que você usou o nick Beija-Flor?]
Não responda nunca, meu amor (nunca) / Pra qualquer um na rua, Beija-flor
[Comecei a entender... O codinome ridículo foi criado para esconder quem ele estava realmente apaixonado. Um romance proibido talvez?Por isso frisa tanto pra não dar atenção a ninguém na rua...]

Que só eu que podia
[Mandão]
Dentro da tua orelha fria
[Gosta duma complicação hein? Colocou um termômetro na orelha pra ver se tava fria?]
Dizer segredos de liquidificador
[Segredos que fazem barulho? Que misturam pensamentos? Esse eu ainda quero descobrir...]

Você sonhava acordada
[Muita gente faz isso! Bacana! É um traço da personalidade ser sonhador!]
Um jeito de não sentir dor
[Morfina companheiro! Eu garanto!]
Prendia o choro
[Segurar o choro faz mal para a saúde. Tenho certeza. Quem faz mal segurar espirro!]
e aguava o bom do amor
[Bom do amor é um espécie de planta pra se cuidar, aguar?]
Prendia o choro e aguava o bom do amor


Essa é uma homenagem à Cazuza. Não quis em momento algum implicar com o que ele escrevia.
Nem sou tão fã assim dele, mas tenho que assumir:- O cara é um poeta!
Se alguem tiver idéia para nova análise de letras, deixa como comentário!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Desventuras de um Jovem Acadêmico de Medicina

Quando se é criança uma pergunta é inevitável: o que você vai ser quando crescer?
Mas depois que o tempo passa, quase todo mundo para de perguntar isso. Disse QUASE todo mundo. Há um caso que a questão vem a tona de novo. Tudo bem que ela muda de roupagem e ganha outra conotação, mas a idéia central ainda continua ali.
É o meu caso! Como acadêmico de medicina todos vem com a mesma indagação:-'' Em que você vai se especializar?''
Tô ficando craque na resposta!
Hoje teve um churrasco de família no sítio de uma tia e por algumas vezes percebi que eu era o centro das atenções. Talvez por estar a muito tempo sem ver a maioria dos primos; ou mesmo porque sentem em mim a esperança do primeiro médico da família.
Eu acho muito bacana a atenção que eles me dão. Tenho a impressão que sou querido e que sim, sem modéstia nenhuma, sou o orgulho da família.
Mas as perguntas que me fazem são sempre as mesmas:-''Tá gostando do curso?'';-''Estudando muito?'';-''O curso é muito puxado?''; -''Estudando muito?'';-''Mas aqui, você mora perto da faculdade?'';-''Já tá indo pro hospital?''
As vezes surge uma rara pergunta diferente:- Mas morar no Rio de Janeiro não é perigoso não? ( Desisti de explicar que Nova Iguaçu não é Rio de Janeiro).
Mas tenho que confessar que também procuro. Gosto de falar umas palavras difíceis para parecer que sei alguma coisa. Coração acelerado vira taquicardia, dificuldade de respirar braquipnéia e por ai vai. Fica chique,o vocabulário enriquece e minhas tias falam:-'' Meu sobrinho já fala que nem médico!''
Num diálogo que tive hoje usei as seguintes palavras:-'' Tia, quando o médico faz a anamnese com a senhora, ele aferiu sua PA e auscultou seu coração né?''. Ela riu e mandou eu falar que nem gente. E bem sacana perguntou:-'' Como que médico fala cu?''
Eita família.
A discussão aqui em casa essa semana foi sobre os parentes que tinham tireóide. Fiquei rindo; e depois expliquei que todos possuímos uma glândula no pescoço chamada de Tireóide e que as doenças a ela relacionadas naquele caso eram Hipotiroidismo e Hipertiroidismo.
Ficaram em silêncio, mas no fundo riam da minha cara.
Retomando a questão inicial, eu não faço idéia em que vou me especializar, mas tenho algumas preferências, claro. Ainda está muito cedo para eu decidir isso.
Mas posso revelar algo? Eu até gosto que me preguntem essas coisas. Quero mais é que se lembrem de mim, e que quando eu me formar, lá onde for a colação, tenha uma faixa bem enorme, escrito bem grande: Leninho,orgulho da família!


Ovo Frito & Cia





às vezes sinto a estranha sensação
possuo uma dor infinita, um mistério amoroso
vontade de passear pelas alamedas
que a tempos não existe mais.

Sinto cheiro de amora vermelha no pé,
ou será apenas um efeito psicológico do carvão?

Há tanta esquina esquisita
suave repouso de pedras e lodo que cobrem
[ tudo.
Olho um pouco triste
a pureza de uma página em branco
avisto rosas sobre as cercas
e azaléias azuis espiam sobre elas
parecem libélulas que só lhe pedem 
um sorriso !




a la Mário Quintana

sábado, 31 de julho de 2010

Amor de peixe

Eram dois peixes que se amavam. Um bagre e uma sardinha.
Ele tinha o seu charme característico, um longo bigode que o fazia parecer mais sábio. Mais tinha cabeça mole, ora bolas! Era um cabeça de bagre!
A sardinha por sua vez, adorava ir as compras, e nadar sem rumo pelas águas turvas do seu bairro. Gostava de locais apertados, principalmente em boa companhia.
Certo dia, enquanto lanchavam no Mc Donalds, o bagre veio com a proposta:
-''Quer casar comigo, peixinha da minha vida?''
A sardinha olhou para seu namorado,fitou seu Mc Fish e pensou em silêncio como iria dizer não. Ela estava interessada no acará bandeira que acabara de se mudar para a região. Pensou, pensou muito, pensou muito mesmo, e como não teve nenhuma idéia que prestasse, acabou aceitando o convite.
Acredita-se que se ela não procurar logo um psicólogo, irá pular para fora d'água; pois já se é do conhecimento de todos, que possui sérias tendências suicidas.

Indagações de um palhaço

Um palhaço caminhava sozinho por uma estrada de terra tortuosa, pensando em sua vida. Até aquele momento, não tinha feito nada de excepcional. Nada do que pudesse se orgulhar. Não tinha filhos. Não tinha fama; nem mesmo emprego fixo.
Viajava com diferentes circos, nunca ficando mais de dois meses no mesmo. Fazia apresentações nas praças das cidades e se rolasse até animava festas infantis.
No meio do caminho encontrou um espelho. Um espelho pequenino mesmo, desses de maquiagem. Fitou bem para a sua imagem ali formada e percebeu que seu olhar,apesar de tantas preocupações e indagações, ainda possuía uma chama, uma fonte inesgotável de alegria.
Resolveu sentar debaixo duma árvore e acabou caindo no sono.
Sonhou que era um assaltante de banco, e que usava a fantasia para não descobrirem quem era ele. Foi um plano frustado, acabou levando um tiro e acordou assustado.
Já se aproximava das 3 horas da tarde e o sol estava a pino.
O palhaço começou a suar desenfreadamente, e a tinta em seu rosto começou a escorrer.
Olhou novamente para o espelho que havia achado,e se assustou com a imagem que viu; parecia o Coringa do Batman.
Veio um instalo. Teve uma idéia que mudaria sua vida para sempre: iria para cidade grande; iria entrar numa escola de teatro, seria ator, seria famoso.
Afinal, qual é a credibilidade de um palhaço?






Mano Preto

Mano Preto chegava meio chapado na enseado do rio das Velhas. Sorria para alguns pescadores, beijava uma árvore e ajoelhava para rezar.
Mano Preto aprendeu na marra a ter que agradecer a Deus. Parecia caso de ficção,mas Mano Preto dizia ser reencarnação de Napoleão.
As vezes fazia greve de fome, outras vezes vomitava de tanto comer.
Fumava sempre um cigarro barato que comprava na feira de domingo.
Fedia uma catinga característica. Não costumava tomar banho.
Era do mundo. Era nômade.
Conheceu o crack por intermédio de outro neguinho, cujo apelido era Pastoreio.
Certa vez fumou uma pedra e entrou num táxi, gritou com o motorista, riu com ele. Mandou que seguisse placas imaginárias.
Comprou um revólver para ele. Queria mesmo era brincar de dar tiros. Não em pessoas, é bom deixar isso bem claro. Mano Preto tinha um bom coração.
Sempre que terminava de rezar, Mano Preto olhava para o rio:-'' Iara tá me chamando!'', sempre dizia e pulava dentro d'água.
Mano Preto não morria afogado! O desgraçado é um exímio nadador.

Pequena Crônica de um Neto-de-santo

Eis que nasce Lúcio Flávio, filho de um pai-de-santo e de uma prostituta de quinta ( dessas que cobram R$5,00 por uma chupada).
Foi criado no centro de macumba, pois a mãe fugiu com um policial que conheceu numa blitz. Era conhecido por todos como neto-de-santo.
Foi botafoguense a vida toda, mas depois que conheceu sua primeira namoradinha resolveu torcer para o mesmo time que ela. Virou vascaíno.
Ruína da sua vida. Namorou apenas três meses ( afirmando que ela não queria dar) e depois ficou ouvindo chacota dos outros macumbeiros o chamando de vira-casaca.
Ao completar 23 anos, afirmou ter tido uma revelação do anjo Miguel. Estava no caminho errado. Converteu-se à Igreja Pentecostal dos Santos que Saram.
Foi batizado depois de alguns poucos meses. Começou a pregar sobre sua vida de ex- neto-de-santo.
Ganhou notoriedade por onde pregava e resolveu virar obreiro e depois pastor.
Foi convidado a participar de um programa gospel na televisão.
Percebeu que já era famoso o bastante para criar sua própria igreja.
Hoje tem 38 anos, casado, pai de 7 filhos. 5 deles do seu próprio sangue e 2 adotados. Sua mulher é bispa da igreja que criou. Seu pai uma espécie de sancristão ( mas continua sendo pai-de-santo todas as segundas quarta-feiras de cada mês, quando é sessão de descarrego na igreja).
Neto-de-santo agora tem planos bem maiores: quer ser dono de um rede de restaurantes de comida japonesa.
Não podemos tirar o mérito, é um empreendedor nato. Um homem dos negócios!

Romance Minímo



Ela sempre morou na Baixada fluminense. Irmã mais nova de cinco irmãos. Desde nova o pai trabalhava no mangue de Magé para colocar comida na mesa. A mãe suicidara após descobrir que tinha câncer de traquéia e que depois da cirurgia não poderia mais falar.
Ele sempre teve a vida fácil. Morador da Barra da Tijuca, filho único de pai e mãe médicos. Mimado,playboy, nunca gostou de estudar, nunca precisou trabalhar. Até que um trágico assalto na avenida das Américas culminou na morte dos pais. Um tiro certeiro na testa de cada um. Foi trabalhar como trocador de ônibus. Sua vida passou pela roleta.
Ela resolveu fazer cursinho pra ser alguem na vida e deu de pegar sempre o mesmo ônibus em que ele trabalhava. Viraram amigos, quase irmãos.
Num barzinho na Lapa rolou o primeiro beijo e naquela mesma noite a primeira foda.
Começaram a namorar. Não porque tinham as mesmas idéias do que era legal, justamente o contrário. Estavam juntos por exclusão. Não gostavam de funk, não gostavam de Crepúsculo, não gostavam do Flamengo, não gostavam de ovo, não votaram no Lula, não assistiam novelas, não leram Paulo Coelho.
Mesmo assim, foram felizes dois anos. Ele só a traia virtualmente, se masturbando pela cam no MSN. Ela o traiu algumas vezes, mas sempre com seu primo gago ( tudo bem discreto, e sempre usavam camisinha).
Até que em fevereiro do ano passado ela pegou pneumonia e morreu. Foi doença oportunista, visto que ela tinha SIDA e não sabia. Pegou ainda feto, não se sabe se da mãe ou do pai.
O destino, veja só, deu um tapa na cara dele. Primeiro quis tomar veneno, mas descobriu que ainda podia ser feliz. Passou a vender maconha, olha só, no mangue em Magé onde seu sogro trabalhava.
Diz-se que tem interesse em uma pescadora de caranguejos de lá. Vai saber!
Baia de Guanabara, é impossível, mas eu vejo!