Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Desventuras de um Jovem Acadêmico de Medicina

Quando se é criança uma pergunta é inevitável: o que você vai ser quando crescer?
Mas depois que o tempo passa, quase todo mundo para de perguntar isso. Disse QUASE todo mundo. Há um caso que a questão vem a tona de novo. Tudo bem que ela muda de roupagem e ganha outra conotação, mas a idéia central ainda continua ali.
É o meu caso! Como acadêmico de medicina todos vem com a mesma indagação:-'' Em que você vai se especializar?''
Tô ficando craque na resposta!
Hoje teve um churrasco de família no sítio de uma tia e por algumas vezes percebi que eu era o centro das atenções. Talvez por estar a muito tempo sem ver a maioria dos primos; ou mesmo porque sentem em mim a esperança do primeiro médico da família.
Eu acho muito bacana a atenção que eles me dão. Tenho a impressão que sou querido e que sim, sem modéstia nenhuma, sou o orgulho da família.
Mas as perguntas que me fazem são sempre as mesmas:-''Tá gostando do curso?'';-''Estudando muito?'';-''O curso é muito puxado?''; -''Estudando muito?'';-''Mas aqui, você mora perto da faculdade?'';-''Já tá indo pro hospital?''
As vezes surge uma rara pergunta diferente:- Mas morar no Rio de Janeiro não é perigoso não? ( Desisti de explicar que Nova Iguaçu não é Rio de Janeiro).
Mas tenho que confessar que também procuro. Gosto de falar umas palavras difíceis para parecer que sei alguma coisa. Coração acelerado vira taquicardia, dificuldade de respirar braquipnéia e por ai vai. Fica chique,o vocabulário enriquece e minhas tias falam:-'' Meu sobrinho já fala que nem médico!''
Num diálogo que tive hoje usei as seguintes palavras:-'' Tia, quando o médico faz a anamnese com a senhora, ele aferiu sua PA e auscultou seu coração né?''. Ela riu e mandou eu falar que nem gente. E bem sacana perguntou:-'' Como que médico fala cu?''
Eita família.
A discussão aqui em casa essa semana foi sobre os parentes que tinham tireóide. Fiquei rindo; e depois expliquei que todos possuímos uma glândula no pescoço chamada de Tireóide e que as doenças a ela relacionadas naquele caso eram Hipotiroidismo e Hipertiroidismo.
Ficaram em silêncio, mas no fundo riam da minha cara.
Retomando a questão inicial, eu não faço idéia em que vou me especializar, mas tenho algumas preferências, claro. Ainda está muito cedo para eu decidir isso.
Mas posso revelar algo? Eu até gosto que me preguntem essas coisas. Quero mais é que se lembrem de mim, e que quando eu me formar, lá onde for a colação, tenha uma faixa bem enorme, escrito bem grande: Leninho,orgulho da família!


2 comentários:

L. Frazão disse...

"Desisti de explicar que Nova Iguaçu não é Rio de Janeiro" rs
Uaal, ''orgulho da família'', medicina, fala igual médico, mas a dúvida continua! Se te consola, estudantes de direito também têm dúvidas em que vão se especializar, se vão virar advogados, promotores, Juizes, delegados, etc.. rs
Nesse momento você até me deixou alíviada, estou no 8º período de Direito e não faço a mínima do que vou ser, é, não sou só eu que tenho dúvidas.. rs
Mas então, boa sorte! rs
E boa escolha!

Beijos, e se puder volta no meu *-*
To seguindo o seu blog, gostei (=

Heleno Dumbá disse...

Enfim alguem que sabe que Nova Iguaçu não é Rio de Janeiro!
Pô Laila.. Direito é um curso que eu tenho muito respeito; apesar de nao ter tido vontade de fazer.
Também de desejo boa sorte e sei que vc tbm fará uma boa escolha!